Viver no Canadá: requisitos, tipos de visto, bolsas de estudo

Viver no Canadá: requisitos, tipos de visto, bolsas de estudo

21 de abril de 2021 0 Por techonday

[ad_1]

O Canadá quer apostar ainda mais suas fichas na migração de estrangeiros para sair da crise gerada pela pandemia. O governo de Justin Trudeau pretende aumentar de forma significativa o número de novos residentes nos próximos três anos, além de conceder mais vistos permanentes para quem está no país de forma temporária. Antes da crise do coronavírus, cerca de 80% do crescimento populacional canadense dependia dos imigrantes.

Além de oferecer uma das melhores qualidades de vida do mundo, apesar do frio em boa parte do ano, o Canadá possui sólidos programas governamentais que incentivam a vinda de mão de obra estrangeira. O país recebia até o início da pandemia, em média, 300 mil imigrantes por ano. 

Imigrando para o Canadá 

Dentre os requisitos para todos os processos imigratórios, o que mais conta pontos é o nível de inglês (ou francês, no caso de quem pretende migrar para Québec). No fim das contas, o conhecimento de idiomas é o que define o grau de empregabilidade, salário e ofertas de trabalho. O candidato deverá se submeter a um dos dois exames de proficiência oficiais: o Canadian Language Benchmarks (CLB), para avaliar o nível de inglês; e o Niveaux de compétence linguistique canadien (NCLC), para o francês. A forma de avaliação e quantificação de cada requisito pode ser conferida aqui.

O processo de imigração mais conhecido é o Express Entry, criado em 2015, principal porta de entrada. Trata-se de um processo seletivo em que o departamento de imigração analisa a idade, grau de instrução, experiência profissional, oferta de trabalho de alguma empresa canadense (não é obrigatório que se tenha), proficiência no idioma e capacidade de adaptação à vida no Canadá. A esses requisitos é atribuída uma nota, sendo 100 a pontuação máxima. 

Para dar início ao Express Entry, o candidato deve preencher um formulário com informações sobre idade, nacionalidade e em qual província canadense pretende morar. A recomendação é que as respostas sejam dadas de maneira clara e assertiva pois isso pode definir tanto a aprovação quanto as oportunidades que serão oferecidas. Preenchido o formulário, é hora de preparar a documentação obrigatória como passaporte, diplomas e ofertas de trabalho (caso o candidato tenha uma). No quesito diploma, é necessário fazer uma equivalência de títulos para alinhar o nível educacional brasileiro ao canadense. 

Outros documentos específicos podem ser pedidos de acordo com o tipo de programa escolhido. O Express Entry engloba três programas de imigração, de acordo com a qualificação e experiência; são eles:  

Federal Skilled Worker (FSW) o programa busca profissionais qualificados que tenham pelo menos um ano de trabalho remunerado em tempo integral em uma profissão que se encaixe no National Occupational Classification. Os requisitos são analisados dentro do critério de pontuação citado acima, sendo que a nota mínima é 67. 

Federal Skilled Trades (FST) – O programa funciona de maneira similar ao FSV, mas a diferença é o foco dado a cargos técnicos e tecnólogos. Quem deseja aplicar para um visto permanente através deste programa deve possuir pelo menos 2 anos de experiência de trabalho remunerado em tempo integral e ter em mãos uma oferta de emprego no Canadá ou certificação concedida por uma província ou território canadense. 

Canadian Experience (CEC) – O programa é indicado para profissionais que já trabalharam no Canadá por no mínimo 12 meses de forma legal e em tempo integral. Os requisitos podem ser conferidos aqui.  

Além de programas federais, também existem os programas provinciais. As exigências são determinadas pelo governo local, que pode estar em busca de qualificações específicas. Por exemplo: New Scotia prioriza médicos; Alberta busca profissionais pós-graduados interessados em empreender). Os detalhes para os processos de imigração para províncias específicas podem ser conferidos aqui. 

Preenchido o perfil online, o candidato entra na base de dados e, de acordo com a sua pontuação, é classificado em um ranking chamado de Comprehensive Ranking System. Quem estiver melhor pontuado recebe um convite do Ministério de Imigração e poderá então solicitar residência permanente no país.

O formulário online do Express Entry tem validade de um ano e, se nesse período o candidato não receber aceno positivo do governo canadense, o documento é apagado do sistema. O candidato pode se inscrever para o Express Entry uma vez a cada doze meses e não é cobrado taxa. 

Outras maneiras de conseguir um visto de trabalho no Canadá

Fazer um curso de pós-graduação no país – estudantes de mestrado ou doutorado, por exemplo, devem comprovar que a experiência profissional é requisito para concluir o curso. Essa modalidade de work permit é chamada de co-op e possibilita que estudantes trabalhem na instituição de ensino ou fora dela com uma carga horária que não ultrapasse mais de 50% do tempo total do curso. 

Não são elegíveis para o visto de trabalho co-op: cursos de idiomas; cursos de interesse geral, feitos não por motivos acadêmicos; cursos preparatórios para outros programas educacionais.

Se você estiver no Canadá fazendo algum dos cursos que não são elegíveis para co-op, mas quiser trabalhar, terá que aplicar para um visto de trabalho pelo processo explicado aqui. Este visto só pode ser solicitado se você estiver em um processo de imigração para obter residência no Canadá, como é o caso do Express Entry. 

Concluir uma pós-graduação em escola credenciada – o governo canadense possui um programa de permissão de trabalho chamado “Pos-Graduation Work Permit” (PGWP) voltado para estudantes estrangeiros que concluíram estudos em uma escola credenciada. A autorização de trabalho é para no máximo três anos e varia conforme a duração do programa de estudos, que deve ser de no mínimo oito meses. Os requisitos são ter mais de 18 anos e possuir um visto de estudante válido; saiba mais aqui. 

Receber oferta de trabalho de uma empresa canadense – o chamado Labour Market Impact Assessment é usado quando empresas precisam contratar mão de obra estrangeira em razão de uma carência profissional local. A empresa precisa provar para o governo que não há canadenses para ocupar a vaga que está sendo ofertada. Nesse caso, o visto de trabalho é vinculado ao empregador e terá validade apenas enquanto durar o trabalho, sem possibilidade de mudanças. Os candidatos podem procurar por vagas no próprio site do governo canadense, o job bank.

Outros programas de Imigração para o Canadá

Self-Employed Program: específico para trabalhadores autônomos, desde que o profissional possa comprovar experiência na área e o desejo de manter a atividade no país. O candidato deve ter dois anos de experiência e somar pelo menos 35 pontos no ranking que determina se o postulante tem recursos para investir no país

Caregivers: profissionais que trabalham como cuidadores de idosos, crianças ou pessoas com necessidades especiais. O candidato deve ter pelo menos seis meses de treinamento ou pelo menos um ano de experiência de trabalho remunerado, em tempo integral, como cuidador ou em função relacionada. A experiência também deve ter sido adquirida nos três anos anteriores ao dia da candidatura. 

Startup Visa Program: o programa foca em profissionais que queiram receber um aporte de empresa canadense e que seja um negócio capaz de gerar empregos e competir em escala global. O candidato deve comprovar que foi capaz de levantar no mínimo CAD$ 75 mil para o seu negócio. Uma lista de potenciais investidores canadenses você encontra aqui. 

Programas de bolsas de estudo no Canadá

As três maiores cidades do Canadá possuem instituições que estão oferecendo bolsas de estudos para brasileiros em programas técnicos, de bacharelado e MBA, com a exigência mínima de nível intermediário de inglês. 

Montreal: a Trebas Institute Montreal tem bolsas de estudos para os cursos de E-commerce & Online Business Management, além de Audio e Video Post-Production. Os programas são elegíveis ao PGWP (Post-graduation Work Permit), que é o visto de trabalho por até três anos após a conclusão do curso. 

Toronto: na maior cidade do Canadá, a opção é a TSOM – Toronto School of Management,, que oferece programas nas áreas de Business, Turismo e Hospitalidade, Big Data e Tecnologia. 

Vancouver: na costa oeste do Canadá, estudantes têm duas opções de escola: a Canadian College of Technology and Business – CCTB e a University Canada West – UCW. A primeira oferece programas nas áreas de Business e Tecnologia, já a segunda tem programas de bacharelado, MBA e Associate of Arts; os três são elegíveis ao PGWP. Saiba mais sobre os programas neste link.

Agências de intercâmbio brasileiras auxiliam no processo migratório

O governo do Canadá possui acordos com empresas no exterior que podem dar suporte durante o processo de imigração, desde o planejamento inicial até a inscrição para o visto correspondente. No Brasil, agências de intercâmbio como STB, Canada intercâmbio e CI possuem acompanhamento especializado ao longo de todo o processo, bem como possuem opções de cursos para quem quer estudar e trabalhar no Canadá.

Leia tudo sobre o Canadá

 

[ad_2]

Source link